26 fevereiro 2014

Carinho para ser

Pensando no que poderia escrever sobre "carinho", descobri que não há palavras que juntas tenham sentido suficiente para descrever o carinho, porque ele se adéqua a cada pessoa e, sendo ele, uma manifestação, uma vertente do amor, fica ainda mais complicado dar um sentido, uma forma, uma palavra ou expressão que dê sentido à ele.
Escrevo poemas porque gosto de juntar palavras e, no final, ter algo que expresse bem o que estou sentindo, e acho que não dá para definir certos sentimentos, mas é possível transmiti-los aos outros...

Quero, pois, te cansar na minha cama
Suspirar teu cheiro de sabão e perfume de meretriz
Entrelaçar minha mão na tua meia rastão
Rir junto do passado fodido
E ir, juntos, pra casa trepar
...

Parei, PAREI! Foi só pra descontrair u-u

Quero, pois te entregar meu abraço
Suspirar o cheiro da sua alegria
Entrelaçar sua mão na minha
Rir junto da televisão estragada
E ir junto ao fim do mundo
Numa mesma estrada estar
Contando causos e casos
Cantando ciranda e canções
Roubando todo o amor do mundo "procê"
Para viver em paz com minha consciência
Sabendo que meu carinho
Bem expresso
Está em você

Acho que fui clara no que tentei expressar, mas se não fui vou logo falar: Não ame como um idiota, não seja um idiota, se existe uma maneira de dizer o que sente, te demonstrar, FAÇA, porque o amor pensado é irrelevante se não for expresso. Saia daqui, (primeiro curte o post, a página e tal) e vai fazer a vida de alguém mais feliz, vá se fazer feliz.

Bem, tá ai, essa foi a primeira parte da minha postagem da semana, (sim, se eu desenrolar a minha vida, vai ter mais tunts-tunts quero ver) desculpem o atraso (ninguém percebeu, mas foda-se) e é isso ae \o/

Esther Lisboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário