29 março 2014

Sábados
























  Eu te procuro em rostos pela multidão, acredite. Bares, noites e festas.
  As vezes só de lembrar de ti, eu sinto o seu cheiro, costuma me remeter conforto e segurança.
  Te vasculho em barbas parecidas e torço os dedos pra topar contigo em um café qualquer. Mas eu quero estar radiante, para que você saiba que sua falta em nada me afeta. Mesmo que seja só por vaidade.
  Eu diria que está tudo bem, é claro. Que a minha vida é melhor agora.
  Devaneio que você se apaixone por essa nova versão de mim. A determinada, forte. Perdidamente, quem sabe. Mas só quero de verdade, que você sinta na pele o que é amar sozinho.
  Te desejo muitos sábados frios, sem amor.
  Que tudo fique sem graça, até mesmo aquele seu filme preferido.
  Que tudo o que você mais desejou vire rotina, perca o sentido.
  E que sua felicidade se esgote, que seus desejos desvaneçam e que Vercilo se torne um mantra ao final da tarde.
  Como eu disse, são apenas devaneios meus, por mera vaidade.

Marcella Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário