23 maio 2014

Ah guri, se tu soubesse...

 
   Se tu soubesse o quanto já te quis
   Se tu soubesse o quanto já te odiei
  Se tu soubesse o que comentei sobre seus beijos, sobre como fala comigo, como me deixa drogada com teu cheiro e presença. Olhar teus olhos me faz querer olhar tua boca, beijar tua boca, te estapear e fazer se desculpar, mas se não houver algo pelo que se desculpar, faça-o assim mesmo. Obrigada.
   Ah, mas se tu soubesse que já te liguei de outro número às 3 da madrugada pra te dizer boas verdades e você não me atendeu. Relutante, confusa e apreensiva por saber do teu temperamento, saber que o que eu dissesse poderia afasta-lo ainda mais. Não liguei de novo. Você não retornou. Merda.
   Se tu soubesse o quanto sua ausência me deixou desnorteada, o quanto tive que desabafar comigo mesma, e então respirar fundo e resolver sozinha cada um dos problemas que orbitavam minha vida.
   E se tu soubesse que a distância cresceu mas que a ferida diminuiu? E também, que você me cutucar agora me deixa indignada?
   Se tu soubesse o quanto minha vontade de ceder é grande ficaria surpreso.
   Mas ainda temo que venha só fazer uma visitinha.
  Temo que você faça tudo desabar outra vez, que vá embora e deixe a bagunça pra que eu tente arrumar por conta própria. De novo.

Anônimo

Nenhum comentário:

Postar um comentário