21 outubro 2014

Tempo perdido

Lá vinha a velhinha de 90 anos, passou na frente do consultório do oftalmologista uma, duas, três vezes. Parou na porta e perguntou algo que não entendi à secretária. Na verdade, sendo bem sincera, nem tinha visto essa senhorinha passando estava jogando DUET, baixa, sério, é muito viciante, fiquei sabendo disso depois que ela saiu, quase tropeçando no degrau imaginário da porta do consultório e os outros pacientes, que aguardavam a consulta começaram a rir e fazer piadinhas sobre a cegueira da velhinha. Em especial uma outra senhora de uns 50 anos que estava ao meu lado e fedia a cigarro.
As pessoas não se enxergam mesmo, pensei.
Todos temos defeitos irreparáveis e constrangedores que ninguém quer que seja evidenciado mas as pessoas não tem o menor pudor ao apontar nos outros, tais defeitos. Porque a gente não sabe onde o sapato do outro aperta, e eu já falei disso inúmeras vezes, mas parece que quanto mais desabafo, mais vejo esses absurdos.
Cinco horas da tarde. Não aguento mais ficar sentada naquela poltrona maldita mas é hora do “debate”  no auditória. Eu sinceramente pensava que nada iria acontecer, que todo mundo ia ficar caldo para ir embora mais rápido mas nã-na-ni-na-não, eu estava enganada novamente. E começou um tal de fala daqui, dali e era uma zoação sem fim, as pessoas riam e gritavam e eu me perguntava se eles realmente sabiam o que as pessoas estavam dizendo. Uma pessoa levantou, falou algo interessante, mas eu só ouvia comentários maldosos sobre o tal. Minha vontade era de sair distribuindo voadora.
Por que as pessoas são assim?
Eu sei que é da nossa sociedade reparar muito nos defeitos e quase nada nas qualidades, mas pera aê gente! Um adulto que já está habituado a viver assim, ainda vai (não está certo mas a gente releva) mas esses adolescentes que se dizem tão maduros e mente aberta estão me frustrando um bocado. Caramba, porque a gente não pode guardar essas opiniões destrutivas e desnecessárias para nós mesmos!? Você gosta quando aquele seu "amigo" retardado fica falando seus podres para geral!? Tenho certeza que não, então por que diabos você tem que ficar ressaltando os defeitos dos outros como se isso fosse fazer o defeito do outro sumir ou mesmo fazer você ficar menos tapado. Se as pessoas tivessem simplesmente ficado quietas ou pelo menos levado a sério o momento, eu teria economizado uns 30 minutos da minha vida hoje, mas nãoooo.
Para mim tudo se resume em uma necessidade imensa de se mostrar, de dizer: “Eu tô aqui” no meio dessa multidão. Mas existem tantas maneiras mais eficazes, e muito mais dignas, na minha humilde opinião, de se mostrar entre a multidão. Vai aprender uma coisa nova, curtir uma nova vibe por ai, e um dia, quem sabe, você não se encontra e percebe que não precisava de nada daquilo e vai se envergonhar de ter sido tão idiotinha e superficial.
Antes que alguém fale alguma coisa, eu também faço isso, quase nunca u.u, mas estou trabalhando guardar minhas opiniões desnecessárias para mim, mesmo.

Então o recado foi dado. Desulpa o desabafo. Mentira. Vai que isso faz alguém pensar, né! 
*Aguardando mudanças*


Esther Lisboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário