Quem somos nós

   Não sei o que dizer sobre mim, porque sempre que digo, volto atrás, sinto que não disse tudo ou que disse demais. Se quer mesmo saber, eu não sou ninguém e me sinto absurdamente sozinha, tentando compreender e consertar o que veio de errado em mim. Por que penso que tenho algo de errado? Não sei. Talvez por ter tudo mas não ter nada, por viver tudo mas não querer nada, quer dizer, quero algo, mas o algo que eu quero não me quer de volta, porque, como de costume… Eu intimido as coisas que me fazem bem, eu intimido a felicidade.

   Não gosto muito de falar sobre mim, talvez porque seja realista demais e tenha medo de encarar alguns dos meus defeitos... Por isso não perco a oportunidade de mergulhar no universo literário. É, simplesmente amo palavras, amo ler, escrever, essas são com certeza minhas atividades favoritas, nelas me perco e me encontro tantas vezes que nem consigo contar, me emociono e tiro uma folga desta dura realidade que o mundo me apresenta. Talvez por saber das tristezas da vida, esteja sempre tentando compreender os outros, ser uma boa amiga, ajudar... Não tenho problema com sentimentos, mas quando o mundo desaba ou a tpm chega, sai de baixo!

   Amor. Talvez minha maior característica possa ser resumida com essa pequena palavra... As vezes tento disfarçar, mas o fato é que sou sensível e quando o amor bate na porta, me jogo do precipício sem nem olhar para baixo. Me preocupo com os outros e tento ser sempre atenciosa, minha personalidade forte atrapalha um pouco, mas estou trabalhando nisso. Curto moda, make caprichado para as melhores fotos com as melhores frases, rs. Sou possessiva, luto pelo que é meu e, sinceramente, não tenho medo de arriscar em busca da minha felicidade, que eu sei, ainda está por ai, em algum lugar.


   Um doce que se derrete. Sou meiga e emotiva, toda coração, estou sempre buscando o lado bom das coisas. Adoro estar com minha família e sair com meus amigos então, faz meu riso farto se esparramar. Talvez vista como rasa, sou profundamente emotiva, as vezes vista como simples, sou complicadamente rara, muitas vezes confundida como tola, sou absurdamente atenta ao mundo que tenta me alienar. Sou assim, um misto de delicadeza e perseverança, tento encantar o mundo enquanto ele me encanta.


   Não dá para dizer ao certo quem sou porque sou sempre um enigma, tanto para os outros quanto para mim, mas a verdade é que eu gosto das coisas simples, de um chocolate quente, um bom videogame e um bom livro de cabeceira. Amo minha família mais que tudo nessa vida e busco incansavelmente fazê-los felizes, como eles me fazem a maior parte do tempo. O fato, é que sou uma mistura interminável de cores e formas que poucos conseguem compreender e, menos ainda, tem a capacidade de cativar, posso ser delicada como um vulcão em atividade e grossa como uma folha caindo do galho, mas sou sempre assim, esse mar de questionamentos.


   Uma caixinha de surpresas, essa sou eu, sempre com um novo truque na manga. Uma linha inconstante, uma depressão profunda e desconhecida, sempre vou surpreender a todos porque estou sempre aprendendo coisas novas e pondo-as em prática. Ainda tenho medo de me mostrar por completo, medo das pessoas não conseguirem lidar com o meu furacão, e é muito triste quando desistem da minha confusão. Busco sempre orgulhar minha família, mesmo que isso custe muito de mim... Bem, sou só eu, eu que canto, que danço, que toco, que desenho, fotografo e gravo a vida por aí, e sinceramente ainda não descobri o porquê, mas me sinto completamente incompleta caminhando na vastidão dos meus saberes.


Descrições por:
Esther Ferreira